Pages

quarta-feira, 29 de julho de 2009

The Divas.... Beyoncé.



Beyoncé Giselle Knowles nasceu em 4 de setembro de 1981 em Houston, no estado americano do Texas.
Suas músicas combinam a essência do R&B com inclinações para o soul, gerando um som com tendência substancialmente pop. Além de trabalhar no mundo da música, Beyoncé também atua, tendo sido recentemente indicada ao Globo de Ouro de melhor atriz de musical ou comédia por seu trabalho no filme Dreamgirls. A diva construiu um verdadeiro império com o seu talento. Além de estrelar em filmes, já venceu 10 prêmios Grammy e uma fortuna avaliada em mais de US$ 349 milhões. Em '07, foi considerada pela revista People a celebridade feminina mais bem vestida de Hollywood.

Beyoncé Knowles é a filha mais velha de Mathew Knowles e Tina Beyoncé. Seus pais decidiram que seu primeiro nome seria uma homenagem ao sobrenome de solteira de sua mãe. Sua irmã, Solange Knowles, é atriz e cantora. Ela foi criada em uma pequena fazenda que se estende em torno de Houston (Texas), onde a cantora começou a carreira no coral da Igreja Metodista Unida de San Juan e foi batizada.

Aos 7 anos ganhou um prêmio escolar pela versão da canção "Imagine" de John Lennon. Ao ver que a intenção de Beyoncé e de Kelly Rowland (sua prima), de dedicar-se à música era séria, Mathew Knowles, começou a buscar um selo musical. Ele largou seu emprego muito bem pago para empresariar o grupo. Matthew, lançou a carreira do grupo batizando-o com o nome de Filho do Destino (Destiny's Child), em um dia que estava lendo a Bíblia. O significado de Child, no nome do grupo, ao contrário do que muitos pensam, não é Filhas, mas Filho: porque representa uma pessoa, que é Jesus.

As Destiny's Child tinham, originalmente, um contrato com a gravadora Elektra, em '95, mas foram demitidas antes que pudessem lançar seu primeiro albúm. O quarteto assinou com a Columbia Records no ano seguinte. Seu primeiro hit de sucesso foi lancado em '98: "No, No, No Part 2". O álbum de estréia do grupo, que tinha o nome de "Destiny's Child" foi lançado em '98. O segundo álbum, "The Writings On The Wall" (As Escrituras no Muro), lançado em '99, teve dois hits que foram escritos por Beyoncè: "Bills, Bills, Bills" e "Say My Name". Pouco depois começam as críticas das outras componentes do quarteto, que se vêem apagadas pelo favoritismo que o pai de Beyoncé conferia a sua filha e sua prima Kelly.

Após isso, duas integrantes saíram do grupo e o grupo entrou em uma pausa que durou 3 anos, durante a qual as componentes se concentraram em suas carreiras solo. Em '04, Knowles se uniu novamente à Williams e Rowland, para que pudessem gravar seu quarto álbum de estúdio, Destiny Fulfilled. O título do disco sugere (algo como destino cumprido) seja o último álbum do grupo. Em outubro de '05, o grupo lançou seu último disco, chamado "Baby", incluindo todos os seus sucessos. A coleção de melhores hits também incluía a inédita, "Stand Up For Love" (Hino do Dia Mundial da Criança de '05). O álbum estreou em primeiro lugar no Billboard.



No outono de '02, Beyoncé fez uma participação especial na música "03 Bonnie & Clyde" do rapper Jay-Z (que era seu namorado na época). Em '03, ela regravou um dueto com Luther Vandross, "The Closer I Get To You". A música foi incluída no primeiro disco solo de Beyoncé, e no de Luther Vandross, Dance With My Father. Os dois ganharam, por essa música, o Grammy de Melhor Performance de R&B Por um Grupo ou Dupla em '04.

Ainda em '03, Knowles lançou seu primeiro álbum solo, Dangerously in Love. O primeiro single, "Crazy In Love", rapidamente se tornou um dos maiores hits daquele verão, ficando em primeiro lugar na Billboard. Os outros singles do álbum, "Baby Boy", "Me Myself and I" e "Naughty Girl", repetiram o sucesso do primeiro.

Em dezembro de '05, Beyoncé lançou o single "Check on It", com a participação de Slim Thug e Bun B. A música estava no álbum #1's das Destiny's Child e na trilha sonora do filme A Pantera Cor-De-Rosa.





Nos Grammy Awards de '06, Beyoncé ganhou um Grammy pela música "So Amazing", um dueto com Stevie Wonder para o álbum So Amazing: An All-Star Tribute to Luther Vandross.

Em '06, Beyoncé lança seu segundo álbum intitulado B'Day no dia 4 de Setembro de '06, dia em que completou 25 anos, mostrando um álbum totalmente diferente. Dele foram retirados os singles "Déjà Vu" novamente com a participação de Jay-Z, que se tornou um enorme sucesso, "Ring the Alarm" que não emplacou, e "Irreplaceable" seu maior sucesso até hoje.





Vendo que o CD não correspondia as expectativas de Beyoncé quanto as vendas, ela relançou o cd em '07 intitulado B'Day Deluxe Edition na qual foram retirados três singles: "Beautiful Liar", "Get Me Bodied" e "Green Light" (só na Europa).




Infelizmente houve um problema com o relançamento do cd. Beyoncé foi acusada de plágio pela cantora Des'Ree pela música Still In Love (Kissing You). Ela entrou com um processo e o B'Day Deluxe Edition teve que ser retirado das lojas e remasterizado sem a canção, o que causou o maior prejuízo para Beyoncé e para a gravadora, mesmo assim o álbum vendeu mais de 6 milhões de cópias no mundo inteiro e faturou um Grammy Award por Melhor álbum de R&B contemporâneo.


Em '01, Knowles fez sua primeira atuação no cinema, estrelando, ao lado do ator Mekhi Phifer, o filme Carmen: A Hip Hopera, para a MTV. Knowles gravou várias canções para o filme com Mekhi Phifer incluindo "Cards Never Lie" com a participação do Rapper Wyclef Jean e Rah Digga.

No verão de '02, co-estrelou o filme Austin Powers e o Membro de Ouro, fazendo o papel de Foxxy Cleopatra e contracenando com Mike Myers e Michael Caine. Knowles gravou "Work It Out" que lançou como single e "Hey Goldmember" com a participação de sua irmã Solange Knowles.

 

Beyoncé e Jay-Z, juntos possuem uma fortuna avaliada em mais de US$ 1 bilhão de dólares.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

The Divas... Mariah Carey.


Fez sua estréia no mundo da música em 1990. Ganhadora de cinco prêmios Grammy, ela é considerada por muitos a artista de maior sucesso da década de 1990 de acordo com a Revista Billboard, é considerada uma das maiores vocalistas femininas da música atual, tendo recebido os prêmios Billboard Music Award de Artista da Década em 1999 e World Music Awards de Artista Feminina Mais Vendida do Milênio em 2000, com mais de 200 milhões de discos vendidos no mundo, sendo 63 milhões só nos EUA e aproximadamente 72 milhões de discos de acordo com a industria fonografica, totalizando mais de 270 milhões de cds e singles vendidos.



Mariah Carey nasceu em Long Island, no Estado de New York dia 27 de março de 1970. Ela é a terceira filha de Patricia Hickey, uma cantora de ópera e Alfred Roy Carey, um engenheiro aeronáutico de descendência venezuelana. Seu prenome foi dado como homenagem à canção "And They Call The Wind (María)" do musical Paint Your Wagon, com "Mariah" sendo uma americanização de "María".



Carey tem uma irmã, Alison Scott Carey e um irmão, Morgan Carey, ambos respectivamente onze e dez anos mais velhos. Como uma família multi-racial, os Carey eram constantemente ameaçados por vizinhos preconceituosos, o que fez a família mudar-se de bairro constantemente. Isso levou os pais de Carey a se divorciarem quando ela tinha apenas três anos de idade. Após a separação, Mariah passou a ter pouco contato com o pai, e sua mãe começou a trabalhar em vários empregos para poder sustentá-la e aos seus irmãos.



Trabalhando como garçonete e como assistente num salão de beleza, Mariah encontrava tempo para os testes de backing vocal. Graças ao seu talento ela conseguiu no primeiro teste tornar-se backing vocal de Brenda Starr, famosa cantora da década de '80.



Tentando estabelecer-se no mundo da música, Carey faltava freqüentemente às aulas e por isso seu apelido no colégio era Mirage. Por sorte ou destino, em '88, Carey conheceu o grande executivo da Columbia Records, Tommy Mottola numa festa onde Brenda Starr deu-lhe uma fita demo de Mariah. Mottola tocou a fita no carro enquanto saía da festa e se impressionou muito com o que ouviu, ele retornou à festa para encontrar Mariah, mas ela já havia partido. E desta maneira começava uma das mais bem sucedidas carreiras do mundo da música internacional.



Em '90, Carey lançou seu primeiro álbum, intitulado Mariah Carey, que foi aos poucos tornando-se um sucesso instantâneo nos Estados Unidos, produzindo quatro sucessos,"Vision of Love", "Someday", "I Don't Wanna Cry" e "Love Takes Time".



Em '91, Carey lançou seu segundo álbum, Emotions, que produziu mais de um single que atingiu o 1° da Billboard (a faixa-título "Emotions"). Os outros hits, "Make It Happen" e "Can't Let Go". Em '92, Carey concordou em participar do especial Unplugged da MTV, o programa foi gravado para provar que Carey não era apenas uma cantora de estúdio, como muitos afirmavam à época. Depois que o programa foi ao ar, o cover de Carey da canção "I'll Be There"(sucesso dos Jackson 5), foi lançado como single e atingiu o primeiro lugar da Billboard na semana seguinte. Mais tarde foi lançado um álbum contendo as canções que Carey interpretou no especial, intitulado MTV Unplugged - Mariah Carey. Neste mesmo ano Carey (com 22 anos), e Mottola (com 42 anos, casado) resolveram assumir o envolvimento amoroso que já durava 2 anos e, após Mottola pedir o divórcio a sua mulher, acabaram se casando em julho do ano seguinte, 1993, numa cerimônia aos moldes da famosa cerimônia do casal princesa Diana e príncipe Charles.



Ainda em ‘93, o terceiro álbum de estúdio de Carey, Music Box, foi lançado, tornando-se o seu álbum de maior sucesso, com a marca impressionante de 23 milhões de cópias vendidas no mundo todo. Os hits do álbum foram: "Dreamlover", "Hero" e "Without You". Music Box foi o primeiro álbum de Carey a receber o certificado de diamante, ou seja, mais de dez milhões de cópias vendidas só nos Estados Unidos.



Em '95, Carey lançou seu sexto álbum, Daydream, outro trabalho que teve grande vendagem mundial mais de 20 milhões de cópias e o segundo álbum da cantora a alcançar o disco de diamante (dez milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos). O primeiro single, "Fantasy" ficou por oito semanas no topo das paradas americanas da Billboard. O segundo single, "One Sweet Day" (dueto com Boyz II Men), tornou-se um recorde (ainda não superado) de permanência no topo das paradas americanas; ficando por consecutivas 16 semanas em primeiro lugar na parada Billboard. Outro single do mesmo álbum, "Always Be My Baby" também alcançou a primeira posição em vários países. Carey e Tommy Mottola se separaram em '97. Apesar de manterem a imagem de um casal feliz em público, Carey se sentia emocional e psicologicamente abusada por Tommy, a quem ela sempre descreveu como "um homem muito possessivo". Após o divórcio surgiram diversos boatos na mídia de que Motolla começara a boicotar a divulgação dos álbuns de Carey, bem como vetá-la para grandes projetos da Sony Music e apresentações importantes na televisão americana. Um dos mais significativos vetos foi a interpretação da música tema do filme Titanic, na qual o autor da música (James Horner) havia oferecido a Carey, porém Motolla vetou o nome da cantora para interpretar a canção oferecendo-a à outra também famosa cantora e sua colega de gravadora, Celine Dion.



Ainda em '97, Carey lançou seu sétimo álbum, Butterfly (considerado pela crítica como o melhor da cantora). Seu primeiro single, "Honey", mostrava em sua letra e vídeo musical, uma imagem bem mais sexy de Mariah, que até então aparecia como "a garota boazinha" nos clipes (imagem cuidadosamente construída pela gravadora), o single estreou em 1º lugar na Billboard. No mesmo álbum, Mariah coloca outro single em primeiro lugar, a balada romântica "My All", permanecendo por uma semana em primeiro lugar na Revista Billboard. Com esta marca, Carey bate o recorde de artista contemporânea com mais singles n°1 nos EUA, ela ultrapassa verdadeiras lendas como Whitney Houston, Michael Jackson e Madonna.




Em '98, Carey lançou seu oitavo álbum - #1's - uma compilação com todos seus singles que atingiram o primeiro lugar nos EUA até então, e mais algumas novas canções. A crítica elogia Carey dizendo que "poucos artistas podem lançar um disco inteiro de músicas n°1". Entre as novas gravações, destacam-se "I Still Believe" e "When You Believe" (dueto com Whitney Houston), que também foi incluído na trilha sonora do filme de animação "O Príncipe do Egito'' que acabou ganhando o Oscar de Melhor Canção Original. No dia da premiação, Mariah e Whitney interpretaram ao vivo a canção para mais de dois bilhões de telespectadores.




Em '99, Carey lançou seu nono álbum, Rainbow. Os singles "Heartbreaker" e "Thank God I Found You" chegaram ao número 1 nos EUA, a regravação "Against all Odds" do cantor Phil Collins fez um grande sucesso em vários países. Mariah recebe da Billboard o prêmio de artista da década, e do World Music Awards, o prêmio de Artista Feminina do Milênio superando em vendas nos Estados Unidos grandes artistas como Madonna, Michael Jackson, Whitney Houston e Celine Dion de acordo com a indústria fonográfica.



Em '01, Carey deixou a Columbia Records e assinou o maior contrato da história para um artista solo, nada menos que 80 milhões de dólares e cinco álbuns com a Virgin Records. Mariah teve uma crise nervosa e sua mãe levou-a ao hospital. Ela foi internada em uma clínica com o diagnóstico de estafa e colapso nervoso. Para completar o ano de azar de Carey, o lançamento do álbum e do filme Glitter (sua estréia nos cinemas) se deu justamente no dia 11 de setembro de 2001 em Manhattan - Nova Iorque, dia do maior ataque terrorista da história, portanto muito pouco pôde ser feito para promover seu filme Glitter e a trilha sonora dele, já que todo o planeta não falava em outro assunto. Para piorar a situação emocional de Carey, a morte de seu pai, vítima de câncer. No começo de '02, a Virgin Records decidiu tirar Carey de seu catálogo. Rescindindo o contrato, a gravadora pagou uma quantia milionária, uma multa de 28 milhões de dólares. Neste mesmo ano, Mariah assinou um contrato de três anos com a Universal Music. Em '02 ainda, Carey lançou Charmbracelet que foi melhor recebido pelo público em comparação ao fracasso de Glitter em 2001.





Em '05 após dois anos fora da grande mídia, Mariah lançou o aguardado The Emancipation of Mimi, produzido por grandes nomes da música como Jermaine Dupri e Antonio L.A. Reid. O álbum marcado de canções fortes como "We Belong Together", "Mine Again" e a balada gospel "Fly Like a Bird" tornou-se o mais vendido do ano nos Estados Unidos, vendendo 5 milhões de cópias e cerca de 10 milhões no mundo inteiro. O primeiro sucesso deste álbum, "It's Like That", tornou-se outro top 20 para a cantora, enquanto o segundo single, "We Belong Together" tornou-se o 16° single a chegar na primeira posição das paradas mantendo essa posição por 14 semanas, igualando-se às músicas "I Will Always Love You" de Whitney Houston e "Candle in the Wind" de Elton John, mais um recorde na carreira de Mimi.




O terceiro single, "Shake it Off", chegou à segunda posição da Billboard enquanto "We Belong Together" permanecia na primeira, outro recorde para a cantora. O quarto single lançado, "Don't Forget About Us", canção no mesmo estilo de We Belong Together, tornou-se seu 17° número 1 nos Estados Unidos, sendo superada apenas por The Beatles. Mariah lançou ainda os singles "Get Your Number" e "Say Somethin'", quinto e sexto singles do álbum The Emancipation of Mimi. Em abril de '08, Mariah lança "E=MC²", seu 11º álbum de estúdio. Para isso, ela contou com a ajuda de grandes produtores. O álbum estreou em 1º lugar na Revista Billboard.




Carey descreve E=MC² como: "Emancipação = Mariah Carey ao quadrado", fazendo referência ao seu álbum antecessor The Emancipation of Mimi. Seu primeiro single "Touch My Body" é alegre e ultra-feminina. Tornando-se seu 18º single número # 1 na parada americana, onde permaneceu por 2 semanas superando o recorde de Elvis Presley que mantinha dezessete músicas em #1. O segundo single, "Bye Bye" é uma música sobre a morte e é “para as pessoas que acabaram de perder alguém” e aparentemente para o seu falecido pai.



Com uma declaração emocionante e verdadeira, um amigo de longa data e lenda Stevie Wonder citou esta frase:

Conheci apenas três pessoas que tinham vozes verdadeiramente maravilhosas e espírito compatível: minha primeira esposa Syreeta, Minnie Riperton e Mariah Carey e q
uando as pessoas falam sobre as grandes cantoras influentes dizem Aretha Franklin, Whitney e Mariah. Isso é um testamento para o talento dela. O alcance vocal de Carey é fantástico".

No dia 20 de Maio de '09 a cantora revelou em seu Twitter o nome de seu novo álbum: "Memoirs of an Imperfect Angel". Em julho deste ano, Mariah se apresentou no funeral de Michael Jackson onde cantou “I'll Be There”.

 
E para fechar este post, Mariah foi incluida na seleta lista das "100 melhores vozes de todos os tempos", realizada pela renomada revista "Rolling Stone" e em toda a sua carreira, já recebeu mais de 200 prêmios, sendo uma das cantoras mais premiadas da história.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

The Divas - Celine Dion.


Céline Marie Claudette Dion (Charlemagne, 30 de março de 1968) na provincia de Quebec no Canadá.


Com 12 anos de idade, Céline escreveu com sua mãe e um de seus irmãos a canção "Ce n'était qu'un rêve" (foi apenas um sonho). O seu irmão Michael enviou a canção para o empresário René Angélil (futuro marido), que soube imediatamente que Céline se tornaria uma estrela internacional e decidiu hipotecar sua pópria casa para poder conseguir fundos para o primeiro álbum dela. Em 1981, eles lançaram La Voix Du Bon Dieu (A voz do bom Deus), que se tornou o mais vendido no mercado local e transformou Céline numa estrela instantânea em Quebec.


O seu reconhecimento logo iria se espalhar para outras áreas do mundo, já que em '82 ela participou do Concurso Yamaha de Canção em Tóquio, no Japão. Desde então, já vendeu mais de 200 milhões de álbuns, sem incluir seus 12 álbuns do ínicio de sua carreira, cantados em francês - além de ter sido reconhecida com vários Grammys, Oscars, World Music Awards, American Music Awards e Globos de Ouro.
Céline, a mais nova de 14 filhos de Adhemar e Thérèse Dion (que deu a Céline este nome em homenagem a uma canção que escutou enquanto estava grávida), cresceu numa casa pobre, mas segundo ela, feliz, na pequena cidade de Charlemagne. Começou a apreciar música quando cantou com suas irmãs mais velhas e tinha apenas 5 anos de idade, num pequeno bar pertencente a seus parentes. Numa entrevista de '92 com a revista People, ela disse: "Eu sentia falta da minha família e do meu lar, mas não me arrependo de ter perdido a minha adolescência. Eu tinha apenas um sonho: ser uma cantora do mundo".

Foi no final dos anos '80 que ela se tornou a primeira artista canadense a receber um Disco de Ouro na França. Aos 18, após ver uma performance de Michael Jackson na televisão, ela disse pra René que queria ser uma estrela internacional como ele. Apesar de não duvidar dos talentos dela, Angélil percebeu que para fazer sucesso no mercado mundial, a sua imagem precisava ser mudada. Ele mandou-a para um curso de inglês para melhorar as habilidades dela naquela língua. Empenhou-se nos estudos e aprendeu tudo o que precisava (num curso intensivo) em pouco mais de três meses, já dominava o novo idioma.


Quando Céline gravou um dueto com Peabo Brysona na canção "Beauty and the Beast" do desenho da Disney - A bela e a Fera- , acabou se tornando uma grande estrela. O single não só entrou no topo da lista dos mais vendidos da Billboard, como também ganhou o "Oscar de Melhor Canção Original" e o Grammy de "Dueto do Ano". Beauty and the Beast foi lançado como single do segundo álbum de língua inglesa da cantora, Céline Dion, que se tornou um sucesso instantâneo de vendas do ano de 1992, trazendo grandes hits como "If You Asked Me To", "Love Can Move Mountains", "Nothing broken but my Heart" e "Water from the Moon".

No fim de '93, é lançado o álbum The Colour of my Love, considerado pelos críticos um dos mais belos trabalhos da década de 90 em que Céline, declara seu amor até então escondido pelo seu empresário, no interior da capa do álbum. Nessa altura, tornara-se numa das maiores cantoras populares de todos os tempos . Este álbum vendeu mais de 25 milhões de cópias e nele se encontra grandes sucessos , como "The Power of Love" e "Think Twice". Céline ganhou diversos prémios durante esse ano, como American Music Awards, World Music Awards, várias indicações para o Grammys e a indicação para o Oscar com
"When I fall in Love" (tema do filme Sintonia de Amor) .

Lançado em meio ao seu auge, o álbum Falling into You, que inclui vários mega-hits mundiais como: "Because You Loved Me", "It's all Coming Back to me Now" e "All by Myself". Considerado um dos álbuns mais vendidos de todos os tempos por uma cantora solo (vendeu 32 milhões de cópias) , ganhou vários prêmios Grammys, American Music Awards, World Music Awards, Globo de Ouro e outra indicação para o Oscar de melhor canção original (Because you Loved Me, tema do filme Íntimo e Pessoal).

Em '97, Céline é convidada para cantar o tema do filme Titanic "My Heart Will Go On" (que ganhou um Oscar em 1998, sendo o segundo de sua carreira) . Esta música tornou-se a mais tocada da história mundial e a música mais famosa cantada por uma mulher.


Com o lançamento de Let's talk about Love, vários outros sucessos foram atingidos em '98 como "Immortality", "The Reason", "To Love You More" que fizeram o álbum vender mais de 45 milhões de cópias e colecionar vários Grammys, American Music Awards, World Music Awards, Globos de Ouro e muitos outros prêmios. Este trabalho junto com o álbum da trilha sonora de Titanic , venderam mais de 65 milhões de cópias , entrando no Guinnes Book como o projeto musical mais vendido de todos os tempos .





No fim do mesmo ano, Céline gravou o seu álbum natalino "These are Special Times", cheio de belas composições clássicas e canções inéditas; contendo "The Prayer" (dueto com Andrea Bocelli), indicada ao Oscar e vencedora do Globo de Ouro, e "I'm Your Angel" (dueto com R. Kelly) fazendo de These are Special Times é o álbum natalino mais vendido de todos os tempos.

Em '99, René Angelil foi diagnosticado com cancro da laringe e a diva toma a difícil decisão de parar por um tempo indeterminado a sua carreira para cuidar do seu marido e também ter seu primeiro filho. Nesse espaço de tempo é lançada uma pequena coletânea dos seus maiores sucessos em inglês, All The Way ... A Decade Of Song que inclui o mega-sucesso "That's The Way It Is" e "Then You Look At Me" (tema do filme O Homem Bicentenário).

Em '02, Céline volta aos palcos em grande estilo com o álbum A New Day Has Come dedicado ao nascimento de seu primeiro filho René Charles. Estreou como número 1 na Billboard e em mais de 17 países .

Em '03 é lançado o álbum "One Heart" que inclui três grandes sucessos, "I Drove All Night", "One Heart" e "Have you Ever Been in Love". "I Drove All Night" tornou-se o tema das propagandas da Chrysler e Céline como figura principal da promoção da tão famosa fábrica de automóveis, com um contrato de 10 milhões de dólares. Em Março do mesmo ano, estréia em Las Vegas, o espetáculo A New Day..., onde uma réplica do Coliseu de Roma foi construída especialmente para Dion cantar as suas canções em conjunto com dezenas de dançarinos, vários efeitos especiais e o maior telão de alta definição do planeta.

O multimilionário espetáculo, que fez Céline lucrar apenas em contrato inicial mais de 200 milhões de dólares, ficou em cartaz por 5 anos - o contrato inícial era de 4 anos, foi prolongado por mais um ano, devido ao enorme sucesso junto ao público, ficando em cartaz até 15 de Dezembro de '07. A New Day... foi visto por cerca de três milhões de espectadores. Céline Dion encerrou as apresentações do concerto em 15 de dezembro de '07, fechando suas portas com cerca de mais 390 milhões de dólares de lucro apenas de ingressos.
 
Em dezembro de '08, o aguardado DVD "A New Day... Live In Las Vegas" foi lançado mundialmente. Foi um enorme sucesso, tendo vendido mais de 1,5 milhão de cópias em todo planeta, sendo 200 mil apenas na primeira semana.


É o DVD musical mais vendido no ano de 2008 em todo mundo e o DVD Musical mais vendido da década.

Em outubro de '08, Céline Dion, lança sua terceira coletânea em inglês: My Love - Essential Collection. Até o momento, este álbum já vendeu mais de 1.200.000 cópias através do planeta.

Depois de uma turnê mundial que rendeu 280 milhões de dólares em pouco mais de um ano, sendo por enquanto a turnê mais rentável por um artista solo, Céline curte uma nova pausa na sua carreira, de 18 meses para aproveitar e tentar ter um segundo filho.


domingo, 5 de julho de 2009

The Divas - Whitney Houston.

Whitney Elizabeth Houston nasceu em 9 de agosto de 1963 é cantora, compositora, produtora musical e teatral, atriz e uma das mais populares e famosas artistas das décadas de 1980 e 1990, recebendo vários Grammys, American Music Awards, Billboard Music Awards, Emmys, um MTV Video Music Award, um MTV Movie Award, um MTV Europe Music Award, o prêmio de “artista da década” e o especial Legend Award. Ufa!


Em 24 anos de carreira Whitney Houston já vendeu mais de 140 milhões de discos em todo o mundo, sendo 54 milhões somente nos Estados Unidos e 60 milhões de singles, totalizando mais de 200 milhões de cópias vendidas em todo o mundo. Ela é classificada como a quarta melhor artista feminina de vendas nos Estados Unidos, com 54 milhões de álbuns certificados pela indústria fonográfica.

Em '92, Whitney fez seu primeiro filme, "O Guarda-costas", o qual protagonizou junto com Kevin Costner. Sucesso de bilheteria, arrecadando mais de 500 milhões de dólares no mundo todo, o filme teve uma trilha sonora caprichada e Whitney gravou seis novas canções para o álbum, incluindo "I Will Always Love You" com que rompeu todas as expectativas, tornando-se um mega e estrondoso “hit” para a cantora. Lançado como single em novembro do mesmo ano, se tornou seu décimo número #1 nos Estados Unidos e permanecendo por 14 semanas consecutivas nessa posição. Com o tempo, tornou-se o single mais vendido, até então, com mais de dez milhões de cópias. A canção"I Have Nothing" foi indicada ao Oscar de Melhor Canção Original. O álbum permaneceu 20 semanas em #1 e vendeu mais de 42 milhões de cópias em todo mundo, com 17,5 milhões só nos Estados Unidos, tornando-se o álbum mais vendido por uma cantora solo, a trilha sonora mais vendida da história e o álbum mais vendido da década de 90, sendo certificado 17 vezes platina dupla e diamante nos Estados Unidos.


Em 18 de julho de '92, Whitney se casou com o cantor Bobby Brown. Em março de '93, deu à luz uma menina, chamada Bobbi Kristina. No ano seguinte com a turnê mundial “The Bodyguard”, Whitney fez sua primeira apresentação no Brasil, participando do evento Hollywood Rock, ela fez um lindo show em São Paulo e outro no Rio de Janeiro, levando os fãs ao delírio quando interpretou ao vivo “I Will Always Love You” o maior sucesso de sua carreira e também cantou na cerimônia de encerramento da Copa do Mundo de '94.


Em '95, Whitney atuou em outro filme, Waiting to Exhale (Falando de Amor) o single "Exhale (Shoop, Shoop)" estreou na primeira posição dos mais vendidos tornando-se seu décimo primeiro número #1 nos EUA e o segundo single da história a estrear nessa posição. O álbum vendeu mais de 17 milhões de cópias no mundo todo, sendo mais de 7 milhões só nos EUA. Seu filme seguinte, The Preacher's Wife (Um Anjo em Minha Vida), foi um remake em que protagonizou ao lado de Denzel Washington. A trilha sonora de “The Preacher's Wife” foi lançada um mês antes do filme e se converteu no álbum gospel mais vendido da história, também tendo sido indicada ao Oscar de melhor trilha sonora original. Whitney canta catorze das quinze quinze faixas do álbum, incluindo os "hits" "I Believe in You and Me" e "Step by Step".





Em '99, Whitney participa do segundo VH-1's Divas Live e sua performance foi caracterizada como “insuperável” pelo The New York Times. Logo após, em comemoração aos 15 anos de carreira, lançou Whitney: The Greatest Hits uma compilação dos maiores "hits". Um álbum duplo, que além das canções que mais tocaram nas rádios, conta com músicas inéditas, duetos inovadores e remixes mais tocados nas paradas de sucesso. Junto com o álbum também foi lançado um dvd que contém seus principais videoclipes, momentos iniciais de sua carreira, entrevistas, últimas aparições, apresentações em shows e bastidores de seus trabalhos.

O álbum vendeu 9 milhões de cópias no mundo todo. Após um bom período longe dos holofotes, em Setembro de '01, Whitney fez uma aparição especial ao lado de Usher e Mya para celebrar os 30 anos de carreira solo do amigo Michael Jackson no Madison Square Garden, em Nova York. O trio abriu o espetáculo ao som de Wanna Be Startin' Somethin'. E no dia seguinte, Whitney deveria duelar One Day In Your Life com Michael Jackson, mas, por motivos desconhecidos, ela não compareceu ao concerto. Ainda no mesmo ano, Whitney lançou Love, Whitney uma compilacão de seus maiores sucessos românticos.





Em '06, Whitney se divorcia do cantor Bobby Brown depois de um casamento cheio de polêmicas, brigas e envolvimento com drogas, Houston decide pedir o divórcio e aparece solteira, feliz, recuperada e linda no 17th Carousel of Hope Ball e foi ovacionada por todos no evento beneficente. Estava deslumbrante em um vestido preto, longo e justo da grife Armani e usava brincos e pulseira de diamantes que realçavam ainda mais sua beleza. Muito assediada por todos os presentes e principalmente pelos fotógrafos, Whitney “roubou” a cena e foi a celebridade mais comentada em canais de TV e revistas por todo o mundo e dizia repetidamente “eu me sinto ótima”.


Durante a festa de antecessão aos Grammy's de '09, oferecida por Clive Davis no Beverly Hilton Hotel, Whitney esteve presente e foi a celebridade que mais atenções reuniu naquela noite. Em Setembro de '08, a cantora assinou um novo contrato com a Arista Records por incríveis 100 milhões de dólares. O acordo com o selo prevê diversos álbuns, o que pode colocá-la de novo entre os grandes nomes da música americana.



Em outubro de '08, Whitney fez uma aparição surpresa no Swarovski Fashion Rocks, em Londres, onde foi ovacionada pelos presentes. Usava um vestido branco Valentino. No mesmo ano foi lançada uma nova coletânea intitulada Whitney Houston: The Best So Far, onde reúne os maiores sucessos de sua carreira.

 

No fim do ano passado, Whitney anunciou que gravaria seu sétimo álbum de inéditas. A cantora ainda declarou ter seis novas canções e que está previsto para ser lançado no primeiro semestre de '09. E para fechar, em toda a sua carreira, Whitney Houston já recebeu mais de quatrocentos prêmios, sendo a cantora mais premiada da história, certificada pelo Livro Guinness Book.



Recentemente, Whitney foi incorporada na seleta lista das "100 melhores vozes de todos os tempos", realizada pela renomada revista Rolling Stone.

E para dividir um momento MARAvilhoso da minha vida e que, infelizmente, não tem volta, segue um remix dela que EU AMAVA ouvir no Clube Massivo, em meados dos anos '90.


MJ... O Rei do Pop.


Resolvi escrever este artigo para homenagear duas pessoas: o astro em si e a minha irmã; Sueli. Suas músicas têm cheiro da minha infância, da alegria que reinava em momentos raros na casa dos meus pais onde assistíamos ao programa “som pop” da TV Cultura, no início dos anos '80. Uma pessoa que estava além do seu tempo (assim como todas que são consideradas “lendas"), inovando com essa idéia esquisita que era o videoclipe (por aqui, o máximo que tínhamos eram os vídeos do Fantástico!). Uma carreira brilhante, única, transgressora e canções que ficaram nas minhas lembranças. Com vendagens que ultrapassam a marca de 750 milhões de cópias pelo planeta.




Vai me dizer que nunca dançou ao som de "Beat it", "Billy Jean", "Thriller", "Bad", "Remember the Time", "Black and White" e tantos outros sucessos? Falar de Michael é falar do início da MTV, da disco, do pop, do Olodum e todos os ritmos. Eu fui ao show de ’93 e foi inesquecível vê-lo de pertinho! Não quero me estender porque seria em vão. A sua passagem por esta vida foi plena. Transformadora. Inspiradora. Muitos nomes atuais admitem que copiaram os seus movimentos e passos.

A minha irmã veio em casa neste sábado e eu estava na sala assistindo à MTV onde passava um programa especial sobre “MJ”, era assim que eu o chamava, quando começou a tocar a música “Blame it on the boogie”, e vi a Sueli chorando de soluçar. Foi de cortar o coração ver alguém que você ama se entristecer com a perda de uma de suas referências! Ela nem conseguia falar enquanto as lágrimas desciam pelo rosto. Depois de mais calma, ela lembrou de uma cena que aconteceu na nossa casa. Uma lembrança que há muito não falávamos. Mas quero registrar a alegria que este homem nos deu em vida. Do brilho nos meus olhos em vê-lo na televisão. Da emoção dos meus irmãos. Dos momentos inesquecíveis que ele me deu. E dividirei com vocês, dois destes momentos.

"Tenho certeza de que você se foi com o sentimento de realização. Afinal de contas, alguém que conseguiu unir tantas pessoas em torno da música, da alegria, da união e da dança, não morre em vão!"



 

sexta-feira, 3 de julho de 2009

A Era Chanel.


Acabei de ler a bio desta mulher que definitivamente mudou o curso da história da moda, da maneira em que vemos uma roupa e no comportamento de muitas mulheres e homens. Dividirei com vocês, “o meu olhar” sobre esta pessoa intigrante:


Gabrielle Bonheur Chanel nasceu em Saumur no dia 19 de agosto de 1883. Mais conhecida como Coco Chanel, foi uma importante estilista francesa e uma mulher à frente do seu tempo. As suas criações até hoje ditam e influenciam a moda mundial. A família de Gabrielle era muito numerosa: tinha quatro irmãos (dois meninos e duas meninas). O pai, Albert Chanel, era caixeiro-viajante e a mãe, Jeanne Devolle, era doméstica. Depois da morte precoce da mãe, que faleceu de tuberculose, o pai de Chanel ficou com a responsabilidade de tomar conta dos filhos. Devido à profissão de seu pai, Coco e as irmãs foram educadas em um colégio interno, enquanto que os irmãos foram trabalhar em outra cidade.


Em 1903, com 20 anos, Gabrielle saiu do colégio e tentou procurar emprego na área do comércio e da dança (como bailarina) e também faz suas tentativas no teatro, onde raramente teve grandes papéis devido à sua estatura. Com 25 anos de idade, Chanel conheceu um rico comerciante de tecidos, chamado Etienne Balsan, com quem passa a viver.




Por volta de 1910, na capital parisiense, Coco vai conhecer o grande amor da sua vida: o milionário inglês, Arthur Boyle. Boyle a ajudou a abrir a sua primeira loja de chapéus. A loja Chanel iria se tornar um sucesso e apareceria nas revistas de moda mais famosas de Paris. Com este relacionamento, Chanel aprendeu a freqüentar o meio sofisticado da Cidade Luz. Algum tempo depois, Boyle acabou a relação com Gabrielle para casar com uma inglesa e meses mais tarde morreu num desastre de carro. Com este desgosto, Chanel abriu a primeira casa de costura, comercializando também chapéus. Nessa mesma casa, começou a vender roupas esportivas para ir à praia e para montar a cavalo. Pioneira, também inventou as primeiras calças femininas.




No início dos anos 20, Chanel conheceu e apaixonou-se por um príncipe russo pobre, Dimitri Pavlovich, que tinha fugido com a sua família da Rússia, então União Soviética. A sua relação com Paulovitch a fez desenhar roupas com bordados do folclore russo e, para isso, contratou 20 bordadeiras. Neste período, Chanel conheceu muitos artistas importantes, tais como Pablo Picasso, Luchino Visconti e Greta Garbo. Sua roupas vestiram as grandes atrizes de Hollywood, e seu estilo ditava moda em todo o mundo. Lá, fecha um contrato de exclusividade com o estúdio MGM, no valor de US$ 1 milhão. Além de confecções próprias, desenvolveu perfumes com sua marca. Os seus tailleurs são referência até hoje. Em 1921, criou o perfume que a iria converter numa grande celebridade por todo mundo, o nº5. O nome referia-se ao seu algarismo da sorte. Depois deste perfume, veio o nº17, mas este não teve o mesmo êxito que o seu antecessor.




Durante a Segunda Guerra Mundial, Chanel fechou a casa e envolveu-se romanticamente com um oficial alemão. Reabriu-a em 1954. Os franceses conceituaram este romance mal e deixaram de frequentar a sua casa. Nesta década, Chanel teve portanto dificuldades financeiras. Para manter a maison aberta, Chanel começou a vender suas roupas para o outro lado do Atlântico, passando a residir na Suíça. Devido à morte do ex-presidente norte-americano John Kennedy e à admiração da ex-primeira-dama Jackie Kennedy por Chanel, ela começou a aparecer nas revistas de moda com a criação dos seus tailleurs, casacos e sapatos. Depois voltou à residir na França.




Faleceu no Hôtel Ritz Paris em 1971, onde viveu por anos. O seu funeral foi assistido por centenas de pessoas que levaram as suas roupas em sinal de homenagem.