Pages

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Um olhar sobre a saudade.


Suplício de Uma Saudade, é uma produção da FOX de '55 e que tornou-se um grande sucesso imediatamente. Narra a história de amor entre a médica Han Suyn e o jornalista Mark Elliot (vividos por Jennifer Jones e William Holden), na cidade de Hong Kong. Os dois se conhecem durante uma festa onde ele pede uma entrevista à ela. Claro que se apaixonam, mas existe um porém: ele é casado. E logo, a família da moça começa à pressioná-la para acabar com o romance. Mas já é tarde. O casal está mais do que envolvido. Nutrem um pelo outro aquele sentimento "de um verdadeiro encontro", daquele tipo de certeza que temos apenas uma vez na vida.

Esse filme foi cenário de um romance que mexeu e muito com a vida da minha mãe. Ela também não pôde ficar com o homem que mais amou nesta vida. Acho que ela nunca se recuperou desta perda. Sempre o levou em seus pensamentos e fiquei sabendo deste romance, somente depois da sua morte. Nunca entendi o por que das lágrimas em seus olhos toda vez que este filme passava na TV. Pensava apenas que ela tinha se emocionado com  a história Todos nós, pelo menos, uma vez na vida sentimos isso por alguém. Essa certeza de ter encontrado "a pessoa". Aquela que nos tira o chão debaixo dos pés! Que deixa o nosso mundo de pernas para o ar...

Não sei porque eu quis publicar essa particularidade com vocês, mas espero que sirva para algo de positivo.


O ator e astro WILLIAM HOLDEN


A atriz JENNIFER JONES, ao natural


e maquiada para se parecer com uma moça asiática, HAN SUYN.


Vencedora do Oscar como "melhor trilha sonora", em parte devido ao grande sucesso do tema que dá o nome ao filme e essa canção foi gravada por nomes como Frank Sinatra, Nat King Cole e Jerry Vale. Na minha opinião, uma das músicas mais lindas já gravadas. Reflete o amor puro e expressa a dor genuína da saudade do grande amor de nossas vidas. Eu, particularmente amo a versão na voz de Nat King Cole. É definitiva!

Suplício de uma Saudade é um filme da "Era de Ouro" de Hollywood. Item indispensável na coleção de todo apaixonado pelo cinema. Abaixo tem a cena final que é considerada uma das mais lindas e tocantes, já realizadas.



domingo, 6 de setembro de 2009

O que Você está Vestindo?


A admiração e fascínio que a moda e o cinema exercem sobre a minha vida vai além de simples palavras. A dupla que se formou com esta parceria criou imagens únicas e mostra uma criativadade vinda de ambos os lados que se traduz nas fotos que escolhi para este post. A imagem acima, é do fotográfo e mestre RICHARD AVADON, que inclusive trabalhou para o cinema como "consultor de moda" no filme "Cinderela em Paris", produção que conta com a "mulher mais elegante da história do cinema": AUDREY HEPBURN.

SEGUEM ALGUNS MOMENTOS
NICOLE KIDMAN no filme "Austrália", produção que capricha na fotografia, direção de arte e figurino. Neste quesito, Sra. Kidman arrasou. O modelo acima é da grife francesa BALENCIAGA.

Em outro momento, NK brilhou no filme "Moulin Rouge" e nos figurinos assinados pela dupla CATHERINE MARTIN e ANGUS STRATHIE. Esse maiô, aparece logo no início e faz parte de um dos primeiros números musicais da produção. Inesquecível!


AUDREY HEPBURN, brilhou mais uma vez e deixou a sua marca no cinema com os figurinos assinados por CECIL BEATON na produção "Minha Querida Dama". A cena em que aparece o vestido acima é soberba! Lembra e muito um desfile de moda. Em sua maioria, os modelos são branco e preto e as poses que as moças fazem, só realçam a beleza das roupas.



A fantasia e imaginários de homens e mulheres deste mundo, MARILYN MONROE, foram inundados por pensamentos com este vestido branco assinado pelo estilista americano HALSTON. A cena é do filme "O pecado mora ao Lado" e foi feita em New York em cima de uma das grades de ventilação do metrô.


Em outro momento da loira, "Os homens preferem as loiras", ela usa este vestido pink feito por CHARLES LE MAIRE e TRAVILLA durante o musical "os diamantes são os melhores amigos de uma garota". Perdemos todos o charme no final, mas as jóias; jamais!


A minha querida e amada MADONNA em sua personificação de Eva Péron, no musical EVITA. A Rainha usou modelos DIOR no filme inteiro. Mais allure, impossível!


E durante a divulgação do filme, também. Esse em especial foi usado na premiére em Roma.

O vestido de cetim preto usado por RITA HAYWORTH no filme "Gilda" é de JEAN LOUIS. Esta cena que é a principal ou pelo menos, a mais divulgada e lembrada pelas pessoas, insinua um streaptease, mas com uma roupa como esta, é melhor não tirar!


AUDREY HEPBURN volta por aqui para mais dois momentos. Acima, em "Cinderela em Paris" usando GIVENCHY no último número musical do filme.


E para encerrar, escolhi "Bonequinha de Luxo". Mais do que elegante, é "atemporal". Esse modelo resume o que é estilo: é se sentir bem dentro da roupa e ser confortável. A roupa tem que te abraçar, fazer com você se destaque e não se sobressair à você! E como dizia Gabrielle Chanel: "Antes de sair de casa, se olhe no espelho. Se você perceber que o look está carregado demais, tire algo e se olhe novamente".