Pages

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Eu gostaria de agradecer.

Em tempos de jogador de golfe pedindo desculpas por traição à sua esposa e perdendo contratos milionários e de políticos que colocam dinheiro em meias, cuecas e roubam do orçamento para "comprar" panettones. Acho melhor "fechar para balanço" com este país. Não sofremos com terremotos ou furacões, mas ao ver essas notícias na televisão, web, jornais e revistas, prefiro ficar com a sétima arte.

Daqui há uma semana veremos os prêmios da indústria do cinema. Procurando pelos discursos já feitos em Hollywood, lembrei desses três e separei-os porque fogem um pouco do mesmo que vejo há muitos anos pelas terras do Tio Sam.


HALLE BERRY: "Este momento é tão maior do que eu..." Soberbo!



TOM HANKS: Citando o professor de teatro e deixando bem claro que ele serviu de inspiração para a sua personagem.


DUSTIN LANCE BLACK: "Quando eu tinha 13 anos... ouvi falar sobre Harvey Milk e ele me deu esperança de viver a minha vida abertamente, de ser quem eu sou, de me apaixonar e me casar".

Feliz Aniversário, Elizabeth Taylor.

Elizabeth Rosemond Taylor completa hoje 78 anos.


Britânica, mudou-se para os EUA aos 7 anos e estrelou filmes ao lado de alguns dos homens mais cobiçados da "Era de Ouro de Hollywood". Vencedora por duas vezes do Oscar como "Melhor atriz" nos seguintes filmes: "Quem tem medo de Virgínia Woolf" e "Disque Butterfield 8" e um pelo conjunto da obra, recebido das mãos do amigo Paul Newman em 1994.


Simplesmente... Federico Fellini.

Federico Fellini deixou a sua marca no cinema mundial com uma combinação de memória, fantasia e desejo. Seus filmes têm uma profunda visão pessoal da sociedade, não raramente colocando as pessoas em situações bizarras.

A sua parceira na vida real: Giulietta Ana Masina.

Os dois casaram-se em Outurbro de 1942. Trabalharam em diversos sucessos. Mas os meus preferidos são: "Amores na cidade", "Julieta dos espíritos" e "As noites de Cabíria". Este último, é fantástico! A cena final, onde a personagem que o título do filme, Giulietta tem uma expressão única com os olhos cheios de lágrimas, após de ter sido abandonada pelo amante e andando pela estrada, vê alguns jovens tocando música, quando ela percebe, está rindo novamente.

Com o compositor Nino Rota, Fellini fez outra bem-sucessidida parceria, onde o maestro levou os créditos por trilhas-sonoras premiadíssimas como: "La dolce vita", "8 e 1/2" e "Amacord". Trabalhos atemporais!

Fellini durante a sua carreira mais do que premiada, recebeu diversas honras, citarei as seguintes: Os Oscars por: "La dolce vita", "8 e 1/2", "Satyricon", "Roma, Cidade aberta", "Os boas-vidas", "A estrada", "Casanova" e "Amacord". Também recebeu em Março de 1993, das mãos de Sophia Loren e Marcelo Mastroianni, a estatueta pelo conjunto de sua obra. Onde disse durante o seu discurso super emocionado, aquela frase que ficaria na lembrança de muitos na Academia: pare de chorar, Giulietta!.

O diretor recebeu também Globo de Ouro, BAFTA, César, Cannes e Veneza.

FEDERICO FELLINI 20/01/1920 - 31/10/1993.

Abaixo, a cena final do meu filme preferido deste brilhante cineasta. Com vocês, Le Notti di Cabíria.


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Alice no país de Tim Burton.

Pelas imagens que invadem a web, teremos um grande espetáculo! A parceria de sucesso entre o diretor, o ator Johnny Depp e do responsável pela trilha sonora; o produtor musical Danny Elfman, nos presenteará com imagens sensacionais!

Vejam o mais novo trailer:


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

A América e o seu capitão.

Steve Rogers é um jovem que não consegue se alistar nas Forças Armadas norte-americanas, durante a Segunda Guerra Mundial, devido ao seu porte físico comum e saúde frágil mas deixou bem claro que "faria qualquer coisa" para ajudar o seu país durante o conflito e essa "qualquer coisa" é o seu alistamento num projeto que criará novos e super soldados.

Então, Steve toma "um soro" que o transformará num homem com porte atlético musculoso, veloz e ágil. Porém, o cientista-chefe deste projeto é morto por um agente nazista infiltrado na equipe e como não há registro desta fórmula, Steve Rogers acaba sendo o único daquilo que deveria ser um exército de "super soldados". Hollywood, de olho neste "lucrativo mercado", está realizando testes para este personagem famoso que irá para as telonas em 2011. Vejam os candidatos, até agora anunciados:

CHACE CRAWFORD (ator revelado no seriado GOSSIP GIRL).

 
GARRETT HELDLUND, ficou conhecido em TRÓIA.

JENSEN ACKLES do seriado SUPERNATURAL.

JOHN KRASINSKI, do seriado THE OFFICE.

MICHAEL CASSIDY, fez uma participação em SMALLVILLE.

MIKE VOGEL fez o filme CLOVERFIELD.

PATRICK FLUERGER fez o seriado THE 4400.

SCOTT PORTER do seriado FRIDAY NIGHT LIGHTS.

WILSON BETHEL, de GENERATION KILL, produção da HBO.

Detalhe: A Marvel impediu por 30 dias que todos esses jovens participassem de outro teste para qualquer filme em Hollywood. Quem você acha que ganhará?!

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Par de vasos.

Somos criados desde crianças e na maior parte de nossas vidas ouvimos e muito sobre "trabalho em equipe". Eu, particulamente, acho dificil pois, não consigo enxergar o grau de compromentimento que a outra pessoa está investindo no nosso trabalho. Mas como "O Olhar", não fica somente na realidade, eu escolhi algumas parcerias que eu não me canso de ver, ouvir e aplaudir. Vamos conferir:

Scarlett Johansson e Woody Allen, trabalharam juntos em "Ponto Final", "O grande furo" e o premiado "Vicky Cristina Barcelona".

Nicole Kidman e Baz Luhrmann, dividiram os créditos no mega-sucesso "Moulin Rouge - Amor em vermelho", naquele comercial MARAvilhoso para o grife Chanel e "Austrália".

Hubert de Givenchy e Audrey Hepburn, a dupla que consagrou e elevou o mundo da moda no mundo do cinema, a condição de "prestígio". As roupas criadas para filmes como "Sabrina", "A princesa e o plebeu", "Bonequinha de Luxo", "Cinderela em Paris", "Como roubar um milhão de dólares" e fez com que Audrey fosse considerada "a mulher mais bem vestida de todos os tempos". Você acha exagero? Eu, não!

Tim Burton e Johnny Depp, trabalham juntos há 20 anos. Começaram em "Edward mãos de tesouras", "O estranho mundo de Jack", "Ed Wood", "A lenda do Cavaleiro sem cabeça", entre outros. O projeto mais atual, é a visão do Diretor sobre o clássico "Alice no país das maravilhas", onde Depp faz o Chapeleiro Maluco, pelos traillers que invadem a internet, teremos outro grande espetáculo.

O Diretor Frank Capra e James Stewart trabalharam em filmes como "A felicidade não se compra", "A mulher faz o homem" e "Do mundo nada se leva". Verdadeiros clássicos do cinema. Se você ainda não os viu, não sabe o que está perdendo!

Gabrielle Chanel e Karl "kaiser" Lagerfeld. É lógico que não trabalharam em vida, mas depois da morte da "Dama da moda", ele assumiu a Direção Criativa da Maison e a cada ano, ele renova com elegância e modernidade o look criado por ela.

Clive Davis e Whitney Houston. Ele a descobriu quando a Diva tinha 17 anos e se apresentava com a sua mãe num bar, em NY. Dizem que ele levou 2 anos, somente para prepará-la e só então, lançou o primeiro álbum de Whitney. Desde então, a moça é simplesmente "A cantora mais premiada da história", com mais de 400 prêmios.

Federico Fellini e Giulietta Masina, na vida real e na arte, nos presentearam com obras-primas como "Amores na cidade", "Abismo de um sonho", "A estrada da vida", "A trapaça", entre outros. Mas o meu preferido é "Noites de Cabíria". O final é fantástico!

Os dois John, o Diretor Ford e o ator Wayne. A colaboração deles somou um total de 22 filmes. Citarei: "No tempo das diligências", "Rio Grande", "Depois do vendaval", "Rastros de ódio" e "O homem que matou o facínora".

Alfred Hitchcock e Grace Kelly. Sua parceria aconteceu em "disque M para matar", "Janela indiscreta" e "Ladrão de casaca". Um caso de amor, nutrido pelo diretor, que nunca foi correspondido. Indicado seis vezes ao Oscar de Diretor, jamais recebeu o cobiçado prêmio.

Sigourney Weaver e James Cameron trabalharam em "Aliens - O resgate" e no titânico sucesso "Avatar". Certa vez, numa entrevista, Weaver disse que odiava fazer Aliens, porque tinha que contracenar com a criatura (mas ela queria o que?! a fada-madrinha), aceitando apenas pelos cachês milionários.

Sr. John Williams e Steven Spielberg fizeram os sucessos "Tubarão", "E.T.", "Indiana Jones", "Jurassik Park" e o melhor: "A lista de Schindler", com o qual, finalmente deram o Oscar de Diretor à Spielberg. John Williams perde apenas para Walt Disney em vezes que concorreu ao Oscar.

Julia Roberts e Garry Marshall trabalharam juntos em "Uma linda mulher" e "Noiva em fuga", esses dois filmes renderam mais de US$ 1 bilhão de dólares em bilheterias.

Martin Scorsese e Robert de Niro fizeram sucessos como "Táxi driver", "Touro indomável", "Os bons companheiros", "Cabo do medo" e "Cassino". Filmes imperdíveis!

Scorsese aparece novamente, porém, agora com Leo diCaprio. Trabalham juntos desde 2002, onde fizeram "Gangues de Nova Iorque", "O aviador", "Os infiltrados" e no mais recente "Ilha do medo".

Razão e Simplicidade.


A Philips já está vendendo na Europa ( por míseros 4 mil euros), esse televisor que será, pelo menos é o que dizem "os entendidos", o novo jeito de assistirmos televisão. O modelo acima tem o formato 21:9 (ou seja, é mais retangular do que os modelos de LCD, atuais) e conta com 56 polegadas. No site do fabricante, só elogios ao novo produto. Promete imagens com contraste nunca antes vistos e definição superior aos modelos de LED, disponiveis no mercado. Então, preparem-se para desembolsar os seus reaizinhos tão suados, ou você achou que completaria "bodas de prata" com aquela TV de 29 polegadas que ganhou no sorteio do mercado?


sábado, 13 de fevereiro de 2010

It's all about the Oscar.


"E você nunca viu um Oscar como este". Calma, por favor, não se assustem! Mas é assim que a Academia de Hollywood está vendendo o evento mais badalado da indústria de cinema. Ainda bem que é indústria e não de arte!

Deixando de lado essas bobagens de que os norte-americanos tanto gostam (que MARAvilhoso que é termos pessoas como Michael Robert, o editor-chefe da Vanity Fair), e mais uma vez faço questão de compartilhar com quem quiser, momentos como o abaixo. Essas são imagens dos bastidores das sessões de foto para a edição anual que a revista faz para comemorar mais um ano de cinema. O ensaio foi comandado pela mais do que talentosa fotógrafa Annie Leibovitz.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

God save.... McQueen.

 

Lee Alexander McQueen era o caçula de 6 irmãos e aos 16 anos, abandonou a escola e foi trabalhar na mítica Savile Row, com clientes como Príncipe Charles e o músico Eric Clapton. No início da década de '90, abriu a sua própria marca e assumiu a Direção Criativa da Maison Givenchy de 1996 à 2001.



McQueen não se restringia apenas à desfiles de moda. Sua criatividade e a busca pela excelência na execução das roupas, o fez expandir para outras áreas. Acima, o estilista mostra a sua visão do Oriente na capa do cd da cantora Bjork, Homogenic, de 1997.



Cate Blanchett na premiére de "Benjamim Button em LA usando uma "criação arriscada" de McQueen. Arriscada e acertou em cheio, na minha modesta opinião!



Em 2007, McQueen nos presenteia com a sua visão da Realeza Soviética. Acima, a nossa queridíssima Carol Trentini num longo que dizem, levou mais de 300 horas para ser executado.



Mas se você acha isso "muito feio", não se preocupe. Acima, um tailleur para o dia-a-dia. Prestem atenção: nenhuma ruga e a costura com um caimento perfeito!



No inverno de 2009, o estilista re-inventa um verdadeiro clássico do guarda-roupa feminino. Vejam que o caimento da saia lápis é perfeito e as mangas-morcego, complementam o visual e atualizam a estética da década de '40.



Em Março de 2006, Kate Moss encerrou o desfile sendo projetada como um efeito holográfico e ficou com um ar fantasmagórico. ARRASOU!

McQueen foi encontrado morto na manhã de hoje em seu apartamento na zona Oeste de Londres. O estilista tinha 40 anos.

Abaixo, uma montagem com cenas de vários desfiles, desde a época da Givenchy, passando pela Gucci e com cenas do histórico desfile onde ele se inspirou no filme "O iluminado".


terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Decifra-me ou... Devoro-te.


Durante o Festival de Cinema deste ano, a cidade de Berlim, terá a sua "Calçada da Fama" e ninguém menos que Marlene Dietrich, será a primeira personalidade à ser agraciada com uma estrela.


O "Boulevard da Fama", nesta primeira etapa contará com 40 nomes e o espaço fica próximo ao Museu do Cinema e Televisão. Logo após Marlene, virão os cineastas: Fritz Lang e Roland Emmerich.

Falecida em Maio de 1992, Marlene foi um dos grandes nomes do cinema mundial. Polêmica, autêntica e à frente da sua época, reza uma lenda que quando conheceu "a novidade", o jovem ator John Wayne, teria dito: "Onde eu compro isso?!"

Sua única indicação ao Oscar foi a de "Melhor Atriz", pelo filme "Marrocos", contracenando com Gary Cooper, em 1931.

Abaixo, um clipe que eu fiz para homenagear esta belíssima mulher, onde a Diva canta "Lili Marleen".

Abraços.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Simplesmente... Jennifer Hudson.


Jennifer Kate Hudson, tem 28 anos e ficou famosa ao ser eliminada prematuramente do programa "American Idol", que estava na sua 3 temporada. Na época, o jurado Sr. Elton John, a chamou de Diva e deu a entender que a sua saída devia-se ao racismo dos telespectadores norte-americanos (novidade, não?!). Vencedora do Globo de Ouro e o Oscar de Atriz Coadjuvante pelo papel de Effie White, no filme de grande sucesso de bilheteria "Dreamgirls".



Também foi a primeira cantora negra americana à estampar a capa da conceituada Revista Vogue, edição de Março de 2007. O conceito do ensaio fotográfico foi idealizado pela renomada Annie Leibovitz. Em Agosto de 2009, deu à luz ao seu primeiro filho: Daniel. Que foto linda, não?!



Infelizmente, não é só de Oscar, Globo de Ouro, BAFTA e capa da Vogue, que é feita a vida desta brilhante cantora. Em Outubro de 2008, sua mãe, irmão e sobrinho foram mortos pelo seu ex-cunhado. Abaixo, outro momento MARA de sua vida, quando cantou "Will you be there", no funeral de MJ. Simplesmente, Jennifer Hudson.

And the Grammy's goes to...

Beyoncé tornou-se a mulher mais premiada (na mesma cerimônia) no Grammy's de 2010. Indicada a 10 categorias, saiu vencedora em 6. Ao total, já venceu por incríveis 19 vezes!

Abaixo, o discurso da Diva, quando recebeu o Gramofone de "Melhor Vocal Feminino".

Um luxo, só!

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Play it again, Sam.

Lembranças de pessoas, lugares, festas, mas acima de tudo: saudades de mim! Esses dias, estive muito pensativo sobre vários assuntos e nada mais agradável do que a companhia de lembranças que me fazem manter a sanidade. Então, seguem alguns momentos que eu quero compartilhar com os leitores do Olhar. Espero que gostem!



Essa música do Collective Soul é simplesmente perfeita, a letra fala de alguém que perdeu a fé em si mesmo e no mundo que ele conhece (o título da música), lembro que quando o vídeo foi lançado na MTV, foi um sucesso! Estava no primeiro ano da Faculdade e estava mais do que apaixonado e felizmente, também sentiam isso por mim. É uma lembrança que levarei por toda a minha vida!



Continuando no fim dos anos '90, o grupo Live estava no auge da fama e deles, eu sou apaixonado por "Turn my Head". Beijei muito escutanto essa música.




"You and me ", toca em Cold Case (série que eu não perco um episódio), a letra fala da alegria de "encontrar e ser encontrado" por quem amamos. É algo libertador e pleno! Mas em como tudo na vida, manter a sintonia é um esforço diário, para ambas as partes.



Na minha opinião, o melhor acústico realizado pela MTV e olha que esse show do George Michael, é de 1996.




Acho que é "o clássico" dentre tantos, dessa banda que 'Eu amo" de paixão! Ai, saudades dos tempos da novela "Mandala".




Tema do filme "Romeu+Julieta (do meu querido Baz Luhrmann) e que me faz lembrar dos bailes à fantasia que eu ia com o meu amor, durante a Faculdade. Ai, ai, ai.... Jovens de coração!




Outra música do "Cold Case" e no refrão, Peter Gabriel fala que ... em seus olhos, eu vejo os portões de mil igrejas... eu quero tocar a luz que eu vejo, em seus olhos... sem comentários!




Claro que a Minha Rainha não poderia ficar de fora dessa reflexão da minha vida, então, escolhi um dos temas das Olímpiadas de Barcelona, em 1992 e Madonna fala nessa canção daquele lugar dentro de nós, que precisamos preservar "a nossa inocência infantil", para não enlouquecermos!




E por último, porém, não menos importante, separei uma canção dessa banda que tomou de assalto as paradas no fim dos anos '90. Fizeram muito sucesso com o tema do filme "Cidade dos Anjos", mas eu tenho um carinho especial por essa música: Black Balloon. Linda, linda e linda.

Saudades de pessoas que não vejo mais, de amores que marcaram à ferro suas passagens em minha vida e, acima de tudo: uma homenagem à mim.